Autor: José Luis Forneiro

Resumo: Segundo o dogma de Ramón Menéndez Pidal o romanceiro tradicional pode encontrar-se naqueles lugares onde se falam línguas ibero-românicas. Nesta comunicação faz-se um levantamento dos textos romancísticos que foram obtidos de naturais das comunidades de África e da Ásia que fizeram parte de Portugal e de Espanha no decurso da história. Também se trata da vitalidade do romanceiro na Ibero-América e no único território da Península Ibérica que possui uma língua autóctone não românica (o País Basco) para comprovar se o dogma pidalino é realmente certo.

Palavras-chave: Dogma pidalino; romanceiro e cultura; romanceiro e expansão linguística; romanceiro em África; romanceiro na Ásia; romanceiro na América; romanceiro no País Basco.

Intervalo de páginas: 347-353

DOI: 10.34619/q5b5-y445

Acesso ao capítulo: PDF


Desenvolvido por:

Instituto de Estudos de Literatura e Tradição Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Fundação para a Ciência e a Tecnologia

O IELT é financiado por Fundos Nacionais através da FCT – Fundação para a Ciência e Tecnologia no âmbito do projeto UIDB/00657/2020

Em parceria com:

Centro de Investigação em Artes e Comunicação Fundação para a Ciência e a Tecnologia Fundación Ramón Menéndez Pidal

Apoios

Fundação Calouste Gulbenkian Fundação Manuel Viegas Guerreiro European Association for Digital Humanities Time Machine Humanidades Digitales Hispánicas

ROMANCEIRO.PT

Colégio Almada Negreiros (Gab. 344) Campus de Campolide, Universidade Nova de Lisboa, 1099-085, Lisboa

Morada postal: Av. de Berna, 26 C, Universidade Nova de Lisboa, 1069-061, Lisboa

Email: contacto@romanceiro.pt

Telefone: +351918 832 055