Resumo: Almeida Garrett (1799-1854) foi o mais famoso dos escritores do Romantismo português. Mas foi também o pioneiro, no interior das fronteiras ibéricas, a dedicar-se à recolha dos romances orais tradicionais. Contudo, nos três volumes do Romanceiro (publicados em 1843 e 1851) – onde edita uma importante parte dos romances da tradição oral que compilou – Garrett oferece apenas uma versão de um “romance de milagres”, precisamente o da “Santa Iria”. E até ao século XXI, para além deste texto, desconhecia-se qualquer outro testemunho do romanceiro religioso do espólio de Garrett, com excepção para uma versão redigida pelo seu punho num caderno de apontamentos e até hoje ignorada.

Palavras-chave: romanceiro religioso; tradição oral moderna portuguesa; Almeida Garrett.

Referência completa: Sandra Boto (2003), “The first portuguese religious ballads: between orality and authoral creation / Os primeiros romances religiosos portugueses dende a Tradição Oral Moderna: uma colecção desconhecida” in Santiago Prado Conde (dir. / coord.), Proceedings of the International Conference on Oral Tradition. Orality and Cultural Herutage / Actas da Conferencia Internacional da Tradición Oral. Oralidade e Patrimonio Cultural, Ourense, 11, 12 e 13 de Novembro de 2010., volume II, [s.l.], Concello de Ourense, 2010 [d.l], pp. 239-246.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Centro de Investigação em Artes e Comunicação Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Algarve

Apoios

Fundação Calouste Gulbenkian Fundação Manuel Viegas Guerreiro European Association for Digital Humanities

ROMANCEIRO.PT

Universidade do Algarve

8005-139 Faro

Email: contacto@romanceiro.pt

Telefone: +351289 800 900 – ext. 7541